sábado, 15 de julho de 2017

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM


As leituras de hoje despertam-nos para a importância da escuta da Palavra de Deus, mas, sobretudo, desafiam-nos a sermos “terra boa”, onde a “semente” frutifique, no fundo, são um convite a deixarmo-nos “fazer” pela Palavra.


Na 1ªleitura (Is 55, 10-11) Isaías compara a Palavra de Deus à chuva e à neve, pois estas, tal como a Palavra, não voltam para o céu sem terem cumprido a sua missão: Eis o que diz o Senhor: «Assim como a chuva e a neve que descem do céu não voltam para lá sem terem regado a terra, sem a terem fecundado e feito produzir, para que dê a semente ao semeador e o pão para comer, assim a palavra que sai da minha boca não volta sem ter produzido o seu efeito, sem ter cumprido a minha vontade, sem ter realizado a sua missão».” Se nos deixarmos repassar, empapar, pela Palavra de Deus, o fruto ver-se-á.


Na 2ª leitura (Rom 8, 18-23)  S. Paulo lembra-nos que a vida é uma luta constante, mas que a nova vida virá e então, em Deus, seremos libertados, conheceremos como somos, por Ele, amados infinitamente:  Sabemos que toda a criatura geme ainda agora e sofre as dores da maternidade. E não só ela, mas também nós, que possuímos as primícias do Espírito, gememos interiormente, esperando a adoção filial e a libertação do nosso corpo.” 


No evangelho (Mt 13, 1-23) , que é explicado por Jesus, há uma certeza que fica, Deus lança sempre a semente, a Sua Palavra é proclamada, Ele não falha, mas a forma como é recebida, depende do como cada um de nós a recebe, aliás, a mesma Palavra, proclamada em alturas diferentes é recebida, pela mesma pessoa, de forma diferente, consoante a situação de vida em que se encontra, no momento da escuta. É sempre uma Palavra viva e atuante. O fruto depende de nós.
“Escutai, então, o que significa a parábola do semeador: Quando um homem ouve a palavra do reino e não a compreende, vem o Maligno e arrebata o que foi semeado no seu coração. Este é o que recebeu a semente ao longo do caminho. Aquele que recebeu a semente em sítios pedregosos é o que ouve a palavra e a acolhe de momento com alegria, mas não tem raiz em si mesmo, porque é inconstante, e, ao chegar a tribulação ou a perseguição por causa da palavra, sucumbe logo. Aquele que recebeu a semente entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo e a sedução da riqueza sufocam a palavra, que assim não dá fruto. E aquele que recebeu a palavra em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende. Esse dá fruto e produz ora cem, ora sessenta, ora trinta por um».”  
Quando não formos “terra boa”, dá-nos Senhor a coragem e a confiança de voltarmos sempre para Ti.

Senhor, que o meu coração se abra sempre à Tua Palavra e se deixe habitar inteiramente por Ti.

domingo, 9 de julho de 2017

XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM

As leituras de hoje testam-nos quanto à humildade, por um lado é o Rei que vem montado num jumentinho, por outro é o Pai, que em Jesus, se revela aos "pequeninos. São leituras que nos projetam para uma vivência partilhada com os outros, atenta e solícita aos seus sofrimentos e alegrias. A Jesus que se faz assim, um connosco, só podemos dizer sim, como Ele fez com o Pai.


Na 1ªleitura (Zac 9, 9-10)  o profeta Zacarias convida o povo a exultar de alegria e a entoar hinos de louvor a Deus, porque “vem ao teu encontro, humildemente montado num jumentinho, filho duma jumenta.” É Deus que vem ao nosso encontro, é Ele, o Rei, quem nos procura, nos acolhe, nos ama incondicionalmente e nos dá a salvação, por isso só podemos cantar: Bendito e louvado seja o nosso Deus; honra, glória e louvor a Deus hoje sempre, pelos séculos sem fim.


Na 2ª leitura, (Rom 8, 9.11-13) S.Paulo leva-nos a submergir, de novo, no Espírito Santo recebido no dia do nosso batismo. Se n’Ele vivermos, se por Ele nos deixarmos habitar por Jesus ressuscitado, alcançaremos a verdadeira vida: Se o Espírito d’Aquele que ressuscitou Jesus de entre os mortos habita em vós, Ele, que ressuscitou Cristo Jesus de entre os mortos, também dará vida aos vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que habita em vós.” 


No Evangelho, Jesus começa por fazer uma oração de louvor e ação de graças a Deus, pelo bom acolhimento da proposta de salvação anunciada pelos apóstolos, que encontrou eco nos humildes, nos pequeninos. E, se, também nós, abrirmos o nosso coração à palavra proclamada, por certo, sentiremos o desafio que, hoje, Jesus nos coloca de n’Ele confiarmos, de a Ele nos entregarmos com tudo o que somos, vivemos e temos, com tudo o que d’Ele nos aproxima, ou afasta. Ousemos confiar em Jesus e descansemos na Sua Paz.
“Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve».”
 Mt 11, 25-30
Senhor que eu me deixe habitar pelo Teu Santo Espírito e aprenda a confiar, a descansar tudo em Ti.

sábado, 1 de julho de 2017

XIII DOMINGO DO TEMPO COMUM


As leituras de hoje desafiam-nos a optar exclusivamente por Deus, que é a Vida, a pô-Lo em primeiro lugar na nossa vida, em tudo o que somos, ou fazemos. Claro, que quando se opta por Deus, simultaneamente é-se impelido a amar n’Ele todos os que fazem partem da nossa existência, ou que, por momentos, se cruzam connosco nos caminhos da vida.



Na 1ªleitura (2 Reis 4, 8-11.14-16a)  é o profeta Eliseu que nos demonstra que todo o que acolhe “o outro”, seja ele quem for, em nome de Deus, mas, com mais razão ainda, se for um homem de Deus, entra no dinamismo da comunicação da vida, tal como aconteceu com a distinta senhora de Sunam, porque é Deus que se comunica e Ele é a Vida.



Na 2ªleitura S.Paulo centra-nos no triunfo da Vida. Desde o nosso batismo, diz-nos ele, vivemos em Deus, por Jesus Cristo, que venceu a morte, e nos ressuscitou para a Vida. Viva Jesus ressuscitado!



No evangelho de hoje, Jesus transmite-nos o segredo para fazermos parte do dinamismo de transmissão da verdadeira vida: amar exclusivamente a Deus e n’Ele os irmãos. Deixar pai, mãe, ...tudo, não nos prendermos a nada, nem a ninguém e, ao mesmo tempo, em Deus estarmos com todos. Esta leitura é difícil de pôr em prática, mas em Deus tudo é possível. Deixemos que Deus seja tudo em cada um de nós. Ele quer ser amado pelos homens de todos os tempos e de todos os lugares, cabe a cada um fazer a sua parte na comunicação do Amor de Deus.
"Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: «Quem ama o pai ou a mãe mais do que a Mim, não é digno de Mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a Mim, não é digno de Mim. Quem não toma a sua cruz para Me seguir, não é digno de Mim. Quem encontrar a sua vida há de perdê-la; e quem perder a sua vida por minha causa, há de encontrá-la. Quem vos recebe, a Mim recebe; e quem Me recebe, recebe Aquele que Me enviou. Quem recebe um profeta por ele ser profeta, receberá a recompensa de profeta; e quem recebe um justo por ele ser justo, receberá a recompensa de justo. E se alguém der de beber, nem que seja um copo de água fresca, a um destes pequeninos, por ele ser meu discípulo, em verdade vos digo: Não perderá a sua recompensa»."
 Mt 10, 37-42 

Senhor, que só Tu sejas o centro da minha vida.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Solenidade de S.Pedro e S.Paulo


A Igreja celebra neste dia dois  apóstolos que marcaram, de forma especial, a Igreja dos primeiros tempos e continuam a ser, ainda hoje, faróis que norteiam a nossa caminhada eclesial: S. Pedro e S.Paulo.
No entanto, hoje, a piedade popular festeja apenas S.Pedro. Na paróquia a que pertenço também estamos em festa, pois S.Pedro é o nosso padroeiro.


As leituras deste dia falam-nos dos dois apóstolos.
Na 1ª leitura (At 12, 1-11) , S. Pedro preso pela autoridades judaicas e suportado pela oração da Igreja nascente, dá-nos um testemunho de confiança e de fé na misericórdia divina, que se faz presente e atua libertando-o.


S.Paulo (2Tim 4, 6-8. 17-18)  também preso, deixa-nos um testamento, único, sinal de uma vivência na fé sem limites. É o testemunho de quem todo se entregou a Cristo e por Ele se deu até ao fim.


No Evangelho, depois do testemunho de fé de S.Pedro, Jesus estabelece-o como o "chefe" da Igreja. É uma autoridade especial, pois afirma-se pelo serviço, pela prática da caridade e não pelo poder temporal. É chamado a fazer como Jesus fazia. E Pedro seguiu Jesus até ao fim.
"Naquele tempo, Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe e perguntou aos seus discípulos: «Quem dizem os homens que é o Filho do homem?». 
Eles responderam: «Uns dizem que é João Baptista, outros que é Elias, outros que é Jeremias ou algum dos profetas».
Jesus perguntou: «E vós, quem dizeis que Eu sou?».
Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo».
Jesus respondeu-lhe: «Feliz de ti, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne e o sangue que to revelaram, mas sim meu Pai que está nos Céus.
Também Eu te digo: Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos
 Céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus»."
Mt. 16,13-19


 S.Pedro e S.Paulo intercedei junto de Deus pela Igreja, para que nos deixemos renovar na fé e vivamos centrados em Jesus Cristo, por Ele e para Ele.
Senhor aumentai a minha fé.

sábado, 24 de junho de 2017

XII DOMINGO DO TEMPO COMUM


As leituras de hoje são um desafio a confiarmos plenamente em Deus e a entregarmo-nos nos Seus braços abertos, que nos acolhem sempre, sempre, sempre (...) no seu regaço de amor infinito, por cada um de nós e nos estreitam contra o Seu peito, para que n’Ele descansemos de verdade. 


Jeremias, conhecido como o profeta da desgraça, nesta primeira leitura (Jer 20, 10-13)  mostra-nos que, mesmo no meio da tristeza e da angústia, preso porque denunciou o que estava mal, Deus está com ele:
“Mas o Senhor está comigo como herói poderoso e os meus perseguidores cairão vencidos. Ficarão cheios de vergonha pelo seu fracasso, ignomínia eterna que não será esquecida. Senhor do Universo, que sondais o justo e perscrutais os rins e o coração, possa eu ver o castigo que dareis a essa gente, pois a Vós confiei a minha causa. Cantai ao Senhor, louvai o Senhor, que salvou a vida do pobre das mãos dos perversos».” 


S.Paulo, nesta 2ª leitura (Rom 5, 12-15),  torna presente a certeza que temos de que, em Jesus Ressuscitado, Deus venceu  a morte para sempre. Jesus revela-nos este Deus Amor, que em nós vence o mal, a morte, o pecado, basta que a Ele nos entreguemos de coração sincero, que n’Ele confiemos totalmente, que nos deixemos amar por Ele. 
“Irmãos: Assim como por um só homem entrou o pecado no mundo e pelo pecado a morte, assim também a morte atingiu todos os homens, porque todos pecaram. De facto, até à Lei, existia o pecado no mundo. Mas o pecado não é levado em conta, se não houver lei. Entretanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo para aqueles que não tinham pecado por uma transgressão à semelhança de Adão, que é figura d’Aquele que havia de vir. Mas o dom gratuito não é como a falta. Se pelo pecado de um só todos pereceram, com muito mais razão a graça de Deus, dom contido na graça de um só homem, Jesus Cristo, se concedeu com abundância a todos os homens.”


No evangelho, Mateus coloca Jesus a fazer as suas recomendações, ao enviar os apóstolos a anunciarem a Boa Nova de Deus Amor, aos homens de todo o tempo e espaço. Escutemos como Ele lhes diz para não terem medo e para confiarem sempre em Deus:
"Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: «Não tenhais medo dos homens, pois nada há encoberto que não venha a descobrir-se, nada há oculto que não venha a conhecer-se. O que vos digo às escuras, dizei-o à luz do dia; e o que escutais ao ouvido proclamai-o sobre os telhados. Não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Temei antes Aquele que pode lançar na geena a alma e o corpo. Não se vendem dois passarinhos por uma moeda? E nem um deles cairá por terra sem consentimento do vosso Pai. Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Portanto, não temais: valeis muito mais do que todos os passarinhos. A todo aquele que se tiver declarado por Mim diante dos homens, também Eu Me declararei por ele diante do meu Pai que está nos Céus. Mas àquele que Me negar diante dos homens, também Eu o negarei diante do meu Pai que está nos Céus»." 
Mt 10, 26-33

Senhor, que eu confie totalmente em Ti e me entregue de coração. Que eu me deixe amar por Ti e em Ti descanse.