sábado, 23 de maio de 2015

SOLENIDADE DO PENTECOSTES 


Hoje é dia de festa "maior" na Igreja, pois é o Domingo de Pentecostes, em que celebramos o nascimento da Igreja. Com esta festa termina o tempo pascal, o grande dia de Páscoa e reinicia-se o tempo comum.
Na 1ªleitura sentimos a ação do Espírito Santo nos discípulos e vemos como se transformam em anunciadores destemidos da Boa Nova do Evangelho, junto dos habitantes de Jerusalém. É com surpresa que percebemos que, embora Jerusalém fosse uma cidade cosmoplita, com pessoas das mais variadas proveniências, falando idiomas diferentes, todos entendiam, o que os discípulos diziam, na sua própria língua. De facto o Espírito Santo faz-se entender em todas as línguas, inunda todos os corações, seja qual for o país de que são originários. O Espírito Santo chega até aos confins do mundo e todos os que lhe abrem o coração O entendem. A linguagem do Espírito Santo é universal, é a linguagem do Amor de Deus.


"Irmãos: Ninguém pode dizer «Jesus é o Senhor» a não ser pela ação do Espírito Santo. De facto, há diversidade de dons espirituais, mas o Espírito é o mesmo. Há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Há diversas operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. Em cada um se manifestam os dons do Espírito para o bem comum. Assim como o corpo é um só e tem muitos membros e todos os membros, apesar de numerosos, constituem um só corpo, assim também sucede com Cristo. Na verdade, todos nós – judeus e gregos, escravos e homens livres – fomos batizados num só Espírito, para constituirmos um só Corpo. E a todos nos foi dado a beber um único Espírito."

1 Cor 12, 3b-7.12-13

S.Paulo leva-nos a reviver o nosso batismo e a reencontrar aí, no Espírito Santo que recebemos, o fundamento do nosso ser comunidade. Só pela ação do Espírito Santo somos capazes de ver no outro, a imagem de Deus e amá-lo como o Senhor o ama, pois é Ele que o ama em nós. Formaremos um só Corpo, partilhando com os outros os dons que Deus nos dá, sempre em ordem ao bem comum.


No Evangelho S. João desafia-nos a viver todo o tempo ( Páscoa, Pentecostes,...) numa mesma confiança em Jesus Ressuscitado, deixando-nos conduzir pelo seu Santo Espírito. É pela ação do Espírito Santo que recebemos a Paz de Jesus e seremos anunciadores do Amor de Deus por todos e cada homem.

Mandai Senhor o Vosso Espírito sobre os nossos corações e acendei neles o fogo do Vosso Amor.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

O PENTECOSTES CHEGOU


video

Vinde Espírito Santo, 
Enchei os corações dos vossos fiéis
E acendei neles o fogo do Vosso Amor.
Enviai Senhor o Vosso Espírito e tudo será criado.
E renovareis a face da Terra.

sábado, 16 de maio de 2015

VII DOMINGO DA PÁSCOA
ASCENSÃO DO SENHOR JESUS


As leituras falam-nos da dimensão missionária da Igreja.
Hoje celebramos a festa da Ascensão do Senhor. 
Para lá da reportagem histórica dos acontecimentos daquele dia, o que é mais importante é o que Jesus então deixou dito (At 1,1-11.): "...mas recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judeia e na Samaria e até aos confins da terra". Somos hoje continuadores da missão que Jesus deu àqueles que o viram ser elevado ao Céu. A Igreja, da qual Jesus é a cabeça, continua com a missão de ser sua testemunha pelos confins da Terra, até ao fim dos tempos.



Na 2ªleitura (Ef 1,17-23.) S.Paulo reza a Deus pela Igreja, por todos e cada um de nós, para que o Espírito Santo, que Jesus depois de subir ao Céu, envia, de junto do Pai, sobre cada um nós, nos ilumine e n'Ele compreendamos a esperança a que fomos chamados e a incomensurável graça de que nos cumulou. Cheios do Seu Amor, da sua misericórdia infinita, apoiados na oração, somos chamados a ser Suas testemunhas nos locais onde vivemos e trabalhamos, junto dos que connosco convivem.




No evangelho vemos como Jesus sobe para junto do Pai, mas não nos deixa órfãos,entregues a nós mesmos, antes pelo contrário, fá-lo de forma a ficar para sempre connosco, pela ação do Espírito Santo. 
Em Igreja  somos batizados no Espírito Santo e n'Ele damos testemunho do Senhor Jesus e do Amor misericordioso de Deus por cada um das suas criaturas.

"Naquele tempo, Jesus apareceu aos Onze e disse-lhes: «Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem acreditar e for batizado será salvo; mas quem não acreditar será condenado. Eis os milagres que acompanharão os que acreditarem: expulsarão os demónios em meu nome; falarão novas línguas; se pegarem em serpentes ou beberem veneno, não sofrerão nenhum mal; e quando impuserem as mãos sobre os doentes, eles ficarão curados». E assim o Senhor Jesus, depois de ter falado com eles, foi elevado ao Céu e sentou-Se à direita de Deus. Eles partiram a pregar por toda a parte, e o Senhor cooperava com eles, confirmando a sua palavra com os milagres que a acompanhavam."  
Mc 16,15-20. 
Senhor envia sobre mim o Teu Santo Espírito, para que seja Tua testemunha na minha vida.

sábado, 9 de maio de 2015

VI DOMINGO DA PÁSCOA


As leituras de hoje são um convite a contemplar Deus na sua essência, no que verdadeiramente o define: o Amor. Deus está continuamente a dar-se, é esta a Sua Natureza. Para O recebermos basta que lhe abramos o coração. 


Na 1ªleitura (At 10,25-26.34-35.44-48) S.Pedro abre e estende, para além do mundo judaico, o anúncio da Boa Nova de Jesus ressuscitado. Batiza os membros de uma família romana - a casa de Cornélio - que acolhem este anúncio. É a confirmação de que a salvação, oferecida por Deus através de Jesus, se destina a todos os homens, que abrem o coração às propostas de Deus.


Quando escutamos S.João a falar do Amor  sentimos que Deus ama profundamente cada um de nós . É, sem sombra de dúvida, alguém que fala do que viveu. Só se pode transmitir assim a dimensão deste Amor, quando se fez essa experiência, na sua própria vida. E, por isso, como alguém que sabe do que fala, explica-nos como se manifesta , na nossa vida do dia a dia, o amor de Deus, seja na relação com Deus, ou com os irmãos.

"Caríssimos: Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Assim se manifestou o amor de Deus para connosco: Deus enviou ao mundo o seu Filho Unigénito, para que vivamos por Ele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amámos a Deus, mas foi Ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de expiação pelos nossos pecados."                                                                                                                                             1 João 4,7-10

No evangelho é o próprio Jesus que nos mostra como Deus nos ama. 


A Iniciativa é de Jesus: "Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi"O Amor partiu dele, não de nós. Desse amor, nasce a vitalidade e a amplitude da sua Missão. Baseada nisso, a resposta dos discípulos torna-se fecunda em frutos duradouros. Consequentemente, a oração deles ao Pai também será ouvida, porque é feita em nome de Cristo.Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa CS


Seremos "amigos de Jesus", quando somos testemunhas do mundo novo que Deus quer oferecer aos homens e que Jesus anunciou na sua pessoa, nas suas palavras e nos seus gestos. Aqui reside a "identidade" dos discípulos de Jesus...O Amor é a base e o fundamento do cristão; sem amor não há cristão, nem cristianismo. Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa CS


Senhor, que nos amemos uns aos outros como Tu nos amas.

sábado, 2 de maio de 2015

V DOMINGO DA PÁSCOA


Nas leituras deste domingo somos desafiados a olhar para a videira e a contemplá-la no seu desenvolvimento. Jesus serve-se da atividade do cultivo da vinha para nos explicar o que é viver em comunidade, ser Igreja.



Na 1ªleitura (At 9,26-31) constatamos que, já nos primeiros tempos da Igreja, havia dificuldades no viver em comunidade e que mesmo S.Paulo, que se tinha encontrado com Jesus ressuscitado, passou por essa experiência. O segredo, pelo que fez S.Paulo, está em não desistir nunca perante as contrariedades e em permanecer sempre em união com Cristo e com a comunidade.


Na 2ª leitura, S.João ensina-nos que a fé se manifesta através das obras de amor. (1Jo, 3,18-24). Relembra-nos que o primeiro mandamento dado por Deus é este: acreditar no nome de seu Filho, Jesus Cristo, e amarmo-nos uns aos outros, como Ele nos amou. Se permanecermos unidos a Cristo, circulará também em nós a Sua seiva e daremos fruto.


"Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Eu sou a verdadeira vide e meu Pai é o agricultor. Ele corta todo o ramo que está em Mim e não dá fruto e limpa todo aquele que dá fruto, para que dê ainda mais fruto. Vós já estais limpos, por causa da palavra que vos anunciei. Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em Mim. Eu sou a videira, vós sois os ramos. Se alguém permanece em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto, porque sem Mim nada podeis fazer. Se alguém não permanece em Mim, será lançado fora, como o ramo, e secará. Esses ramos, apanham-nos, lançam-nos ao fogo e eles ardem. Se permanecerdes em Mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes e ser-vos-á concedido. A glória de meu Pai é que deis muito fruto. Então vos tornareis meus discípulos»." 

Jo 15,1-8. 

O evangelho é uma espécie de testamento que o Senhor Jesus nos deixou. Se quisermos que Ele nos torne seus discípulos devemos, por um lado, permanecer unidos à seiva da videira, que é o próprio Cristo, e por outro, permitir que Ele nos pode, quando for necessário, para assim darmos mais fruto. São estas as condições.


Senhor, que eu permaneça sempre unida a Ti e aos irmãos.