sábado, 26 de Julho de 2014

            XVII DOMINGO DO TEMPO COMUM


A liturgia deste domingo desafia-nos a descobrirmos quais são os valores essenciais, pelos quais pautamos a nossa vida. Verdadeiramente, para cada um de nós, o que é que é realmente importante, sem o qual a vida deixa de ter sentido?

Na 1ª leitura Salomão soube escolher o melhor: o dom da Sabedoria. E Deus concedeu-lha.

S.Paulo, na 2ª leitura   apresenta-nos as  etapas do caminho que conduz à Salvação, lembrando-nos que só a Sabedoria de Deus, discernirá no nosso coração o desígnio do Senhor, que nos "predestinou" para sermos conformes à imagem do seu Filho.

"Irmãos: Nós sabemos que Deus concorre em tudo para o bem daqueles que O amam, dos que são chamados, segundo o seu desígnio. Porque os que Ele de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que Ele seja o Primogénito de muitos irmãos. E àqueles que predestinou, também os chamou; àqueles que chamou, também os justificou; e àqueles que justificou, também os glorificou."
Rom 8,28-30


No Evangelho Jesus apresenta-nos o verdadeiro tesouro: O Reino de Deus. Deus criou-nos livres de optarmos, ou não, pelo Seu Reino. Cabe-nos fazer a melhor escolha.

Envia Senhor sobre mim o dom da Sabedoria, para que opte por Ti e Te ponha sempre em primeiro lugar. Ilumina-me Senhor. Só a Tua Sabedoria Divina fará isso em mim!

sábado, 19 de Julho de 2014

XVI DOMINGO DO TEMPO COMUM


A 1ª leitura deste domingo faz-nos olhar atentamente para a Paciência e a Misericórdia de Deus, que nunca tem pressa para condenar o pecador. Olha-o com misericórdia esperando com uma paciência infinita que este se converta. 


A 2ª leitura vem na mesma linha, mas S.Paulo é ainda mais claro apresentando-nos o Espírito Santo como Aquele que age em nós, vindo em nosso auxílio em todos os momentos, e por isso também na oração, rezando em nossos corações a Deus Pai.


"Irmãos: O Espírito Santo vem em auxílio da nossa fraqueza, porque não sabemos que pedir nas nossas orações; mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis. E Aquele que vê no íntimo dos corações conhece as aspirações do Espírito, pois é em conformidade com Deus que o Espírito intercede pelos cristãos."
Rom 8, 26-27 


O Evangelho é também exemplo da Paciência Divina, nas diferentes parábolas que Jesus nos conta. Mais Jesus desafia-nos a sermos como a semente de mostarda, pequenina e insignificante, mas que ao crescer dá abrigo aos pássaros que se acolhem nos seus ramos. Outro exemplo que Jesus usa, para nos levar a agir, é o do fermento que leveda a massa em que é incorporado.


Divino Espírito Santo, que por mim intercedes ao Pai, com gemidos inefáveis, ajuda-me a ser como o grão de mostarda e como o fermento na massa levedada.

sábado, 12 de Julho de 2014

XV DOMINGO DO TEMPO COMUM



A Liturgia deste domingo convida-nos a refletir  sobre a importância da PALAVRA DE DEUS e  exorta-nos a ser uma "terra boa" que acolhe a Palavra e produz frutos abundantes na vida de cada dia.


Na 1ª Leitura, o Profeta compara a Palavra de Deus à CHUVA.  "Não voltará, sem ter cumprido a sua missão". (Is 55,10-11)


Na 2ª Leitura, Paulo ensina-nos que o tempo da sementeira é sempre difícil, sofre-se com a dor e a espera. Não se trata de um grito de morte, mas sim do início de uma nova vida que vem a chegar. (Rm 8,18-23)

"Irmãos: Eu penso que os sofrimentos do tempo presente não têm comparação com a glória que se há de manifestar em nós. Na verdade, as criaturas esperam ansiosamente a revelação dos filhos de Deus. Elas estão sujeitas à vã situação do mundo, não por sua vontade, mas por vontade d’Aquele que as submeteu, com a esperança de que as mesmas criaturas sejam também libertadas da corrupção que escraviza, para receberem a gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Sabemos que toda a criatura geme ainda agora e sofre as dores da maternidade. E não só ela, mas também nós, que possuímos as primícias do Espírito, gememos interiormente, esperando a adopção filial e a libertação do nosso corpo."
Rom 8, 18-23


No Evangelho, com a Parábola da SEMENTE e do SEMEADOR, vemos que o fruto da Palavra de Deus depende da qualidade da terra. (Mt 13,1-23)
Ele semeia em todos os terrenos, mesmo nos inférteis.E algumas sementes, ainda que demorem mais tempo, germinam mesmo... O importante é semear o grão da esperança. Semear o sorriso para que resplandeça ao redor de nós. Semear as nossas energias para enfrentar as batalhas da vida. Semear a nossa coragem para reerguer a coragem do outro. Semear o nosso entusiasmo, a nossa fé, o nosso amor...

                                                                                          Adaptado de Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa CS      


Ajuda-me Senhor, para que eu seja "boa terra".

sábado, 5 de Julho de 2014

XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM


As leituras de hoje mostram-nos Deus ao lado dos fracos, dos humildes, dos pecadores que reconhecem o seu pecado e se lhe entregam de coração arrependido, reconhecendo a sua fraqueza.



A 1ª Leitura descreve a volta do Rei vitorioso a Jerusalém.

                                                                                                 (Zc 9,9-10)    

Na 2ª Leitura, S.Paulo ensina que a vida "segundo a carne" gera morte; e que a vida "segundo o Espírito", que recebemos no Batismo, gera vida.

                                                                                             (Rm 8,9.11-13)



E o Evangelho é uma das leituras que mais fundo penetram no meu coração. Sim, é este Deus que verdadeiramente me encanta, me faz sair de mim, é o Deus que me leva ao colo nos momentos mais complicados da vida, que nunca se farta de mim, que está sempre comigo...  Quem pode ficar indiferente perante este Deus Amor que todo se dá por aqueles que nada valem?!

"Naquele tempo, Jesus exclamou: «Eu Te bendigo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas verdades aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, Eu Te bendigo, porque assim foi do teu agrado. Tudo Me foi dado por meu Pai. Ninguém conhece o Filho senão o Pai e ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a Mim, todos os que andais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e a minha carga é leve»."
Mt 11, 25-30

Sim, Pai eu quero amar-te na totalidade do meu ser. Envia sobre mim o Teu Santo e Divino Espírito.

sábado, 28 de Junho de 2014

XIII DOMINGO DO TEMPO COMUM
Festa de S.Pedro e S. Paulo, Apóstolos


A Igreja celebra neste domingo dois  apóstolos que marcaram, de forma especial, a Igreja dos primeiros tempos e continuam a ser, ainda hoje, faróis que norteiam a nossa caminhada eclesial: S. Pedro e S.Paulo.
No entanto, a piedade popular hoje festeja apenas S.Pedro. Na paróquia a que pertenço também estamos em festa, pois S.Pedro é o nosso padroeiro.


As leituras deste dia falam-nos dos dois apóstolos.
Na 1ª leitura, S. Pedro preso pela autoridades judaicas e suportado pela oração da Igreja nascente, dá-nos um testemunho de confiança e de fé na misericórdia divina, que se faz presente e atua libertando-o.



S.Paulo também preso, deixa-nos um testamento, único, sinal de uma vivência na fé sem limites. É o testemunho de quem todo se entregou a Cristo e por Ele se deu até ao fim.


"Naquele tempo, Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe e perguntou aos seus discípulos: «Quem dizem os homens que é o Filho do homem?».
Eles responderam:  «Uns dizem que é João Baptista, outros que é Elias, 
outros que é Jeremias ou algum dos profetas». Jesus perguntou:
 
«E vós, quem dizeis que Eu sou?». Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo».
Jesus respondeu-lhe: «Feliz de ti, Simão, filho de Jonas, porque não foram a carne e o sangue que to revelaram, mas sim meu Pai que está nos Céus.
Também Eu te digo: Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus»."
Mt 16, 13-19

E no Evangelho, depois do testemunho de fé de S.Pedro, Jesus estabelece-o como o "chefe" da Igreja. É uma autoridade especial, pois afirma-se pelo serviço, pela prática da caridade e não pelo poder temporal. É chamado a fazer como Jesus fazia. E Pedro seguiu Jesus até ao fim.


S.Pedro e S.Paulo intercedei junto de Deus pela Igreja, para que nos deixemos renovar na fé e vivamos centrados em Jesus Cristo, por Ele e para Ele.
Senhor aumentai a minha fé.

sábado, 21 de Junho de 2014

XII DOMINGO DO TEMPO COMUM 
SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO


Hoje celebramos a solenidade do Corpo de Deus. 

Como perdemos o feriado, passámos para o Domingo seguinte a celebração desta festividade. É uma festa de louvor e ação de graças a Deus, pelo dom que nos deu - a Eucaristia. É a festa da comunhão,do encontro especial com Deus neste sacramento que Jesus nos deixou. 



Nas leituras de hoje há um denominador comum, que é o facto de todas nos falarem da Eucaristia. 

Na 1ª leitura Moisés explica-nos o sentido do maná, como que antecipando o novo Pão que havemos de receber de Jesus, o Seu Corpo e Sangue.

S. Paulo, na segunda leitura fala-nos do Corpo e Sangue de Cristo.

"Irmãos: Não é o cálice de bênção que abençoamos a comunhão com o Sangue de Cristo? Não é o pão que partimos a comunhão com o Corpo de Cristo? Visto que há um só pão, nós, embora sejamos muitos, formamos um só corpo, porque participamos do mesmo pão."
1 Cor 10, 16-17 

No evangelho é o próprio Jesus que nos diz que é o Pão vivo descido do céu e que quem o comer viverá eternamente.
A nossa atitude só pode ser a de eterna gratidão e de louvor permanente a Deus, porque não nos deixou sós e está connosco sempre presente na Eucaristia. 



Ó milagre de amor, único e total, que por nós se manifesta desta forma tão sublime. Eu te dou graças Senhor pelo dom da Eucaristia. Bendito e louvado sejas por nos amares assim.

sábado, 14 de Junho de 2014

SANTÍSSIMA TRINDADE


Voltámos ao tempo comum, mas hoje é dia de festa, celebramos a Solenidade da Santíssima Trindade.
Nas leituras de hoje somos convidados a contemplar o mistério  do Amor. Este Amor é tão grande, que ultrapassa tudo o que a nossa capacidade humana pode entender. Vai sempre mais além do que possamos imaginar. E a prova maior recebemo-la quando Jesus veio habitar no meio de nós e nos foi revelando o quanto Deus Uno e Trino nos ama, a nós criaturas humanas, desde toda a eternidade. 


E continua connosco, no nosso dia a dia, tal como nos diz S.Paulo na segunda leitura
"Irmãos: Sede alegres, trabalhai pela vossa perfeição, animai-vos uns aos outros, tende os mesmos sentimentos, vivei em paz. E o Deus do amor e da paz estará convosco. Saudai-vos uns aos outros com o ósculo santo. Todos os santos vos saúdam. A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco"
2 Cor 13, 11-13 


As outras leituras de hoje também nos ajudam a contemplar este Deus Amor, que sendo uma só pessoa assume três naturezas distintas: Deus - Pai, Deus - Filho e Deus - Espírito Santo.

Deus, Pai, Filho, Espírito Santo, ó Santíssima Trindade, que cada ser humano, que habita nesta Terra sinta o quanto é amado por Ti e se deixa repassar, empapar, pelo Teu Amor.